quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Conta da Vida




Imagine que tem uma conta à ordem. Cada manhã acorda com um saldo de 86 400 euros. Há uma condição: não é permitido transferir o saldo para o dia seguinte. Por isso, todas as noites o seu saldo passa a zero, mesmo que não tenha conseguido gastá-lo durante o dia.
Como vai aproveitar esta oportunidade? Irá gastar cada cêntimo, claro!
Todos nós somos clientes de um banco que se chama TEMPO.
Todas as manhãs são creditados, na conta de todos nós, 86 400 segundos, e, todas as noites o saldo fica esgotado. Cada manhã, a conta é reiniciada, e todas as noites as sobras do dia desaparecem. Não há outra hipótese. Ao vivermos no presente, precisamos de gastar o nosso depósito diário. Assim sendo, o ideal é investir no que for melhor, cada dia. Na saúde, na família, na vocação e na espiritualidade.
Lembremos que o tempo é uma dimensão intangível que não é possível guardar.

Para perceber o valor de UM ANO, pergunte a um estudante repetente.
Para perceber o valor de UM MÊS, pergunte a uma mãe que teve um bebé prematuro.
Para perceber o valor de UMA SEMANA, pergunte a um editor de um semanário.
Para perceber o valor de UMA HORA, pergunte aos apaixonados que estão à espera do encontro.
Para perceber o valor de UM MINUTO, pergunte a alguém que perdeu o avião.
Para perceber o valor de UM SEGUNDO pergunte a quem conseguiu evitar um acidente.
Para perceber o valor de UM MILÉSIMO DE SEGUNDO, pergunte ao atleta que só conseguiu ganhar a medalha de prata, numa olimpíada.
Valorize cada momento que tem! O tempo não espera por ninguém. O ONTEM é história. O AMANHÃ é mistério. O HOJE é uma dádiva de Deus. Por isso se chama PRESENTE. Resta-nos aceitá-lo e vivê-lo.

Extraído do livro "Pensar Faz Bem"
Escrito por: Ezequiel Quintino

domingo, 16 de julho de 2017

Fácil e Difícil

“Fácil é ocupar um lugar na agenda telefónica de alguém,
Difícil é ocupar o seu coração.

Fácil é julgar os erros dos outros,
Difícil é reconhecer os nossos próprios erros.

Fácil é ferir quem nos ama,
Difícil é curar uma ferida.

Fácil é perdoar aos outros,
Difícil é pedir perdão.

Fácil é exibir e comemorar uma vitória,
Difícil é assumir a derrota com dignidade.

Fácil é sonhar todas as noites,
Difícil é encontrar-se e estar com Deus nas pequenas coisas.

Fácil é dizer que amamos,
Difícil é demonstrá-lo todos os dias.

Fácil é criticar os outros,
Difícil é melhorar-nos a nós mesmos.

Fácil é pensar em melhorar,
Difícil é deixar de pensar e realmente fazê-lo.

Fácil é receber,

Difícil é dar.”

sexta-feira, 14 de julho de 2017





Deus dá

Quando o sonho se desfaz, Deus reconstrói.
Quando se acabam as forças, Deus renova.
Quando é inevitável conter as lágrimas, Deus dá alegria.
Quando não há mais amor, Deus é sempre Amor.
Quando a desgraça é certa, Deus transforma-a em bênção.
Quando parece ser o fim, Deus mostra que ainda não é.
Quando a aflição persiste, Deus envolve-nos na paz.
Quando a doença bate à porta, Deus cura.
Quando surge o impossível, Deus torna-o possível.
Quando faltam as palavras, Deus sabe o que queremos dizer.
Quando tudo parece fechar-se, Deus abre uma nova porta.
Quando dizemos: “não vou conseguir” Deus diz: não temas, estou contigo.
Quando o coração é ferido por alguém, Deus derrama o bálsamo curador.
Quando não há possibilidade, Deus faz o milagre.
Quando há morte, Deus é Vida.
Quando a noite parece não acabar, Deus envia o amanhecer.
Quando surgir a dúvida de que isto seja possível, lembre-se de que, para Deus não existe o impossível!
Como diz Carol, “A hora da oportunidade fica muito próxima da hora da oração.”

Extraído do livro: “Pensar faz bem”

Escrito por: Ezequiel Quintino

domingo, 9 de julho de 2017


Nenhuma Flor

Todas as épocas têm histórias interessantes que encerram lições úteis.
Conta-se que nos tempos idos da monarquia, um príncipe de um grande país, nas vésperas de ser coroado imperador, precisava de casar para cumprir a lei. Resolveu então escolher a noiva, entre todas as moças da corte e do país. Anunciou uma festa especial com todas as pretendentes para, num oportuno, lhes lançar um desafio.

Uma serviçal do palácio ouviu comentários acerca dos preparativos da festa. Como mãe dedicada, conhecia o amor que a sua filha tinha pelo príncipe. Contou-lhe logo a novidade e ficou muito surpreendida com a reação dela. -  Mãe, eu vou candidatar-me! – Minha filha, disse a mãe, vão estar presentes as mais belas e ricas moças da corte.
Não transformes o teu sofrimento em loucura! – Mas a filha respondeu: - Não, mãe eu não sofro nem estou louca! Sei que poderei ser escondida. Mas, assim, terei a oportunidade de ficar, pelo menos alguns momentos, perto do príncipe. Isso já me torna feliz.

Na noite marcada, a filha da serviçal compareceu no palácio.

O príncipe não demorou a lançar o desafio: - Darei a cada uma de vós uma semente.
Aquele que, dentro de seis meses, me trouxer a mais bela flor, será minha esposa e a futura imperatriz. O tempo começou a passar. A filha da empregada do palácio não tinha muita habilidade para a arte da jardinagem. Porém, cuidava da semente que tinha recebido do príncipe, com carinho e ternura. Sabia que se a beleza da flor surgisse na mesma medida do seu amor pelo príncipe, não precisava preocupar-se com o resultado. Passaram três longos meses e nada aconteceu. Seis meses, e a semente não se transformou em flor… Mesmo assim, a jovem compareceu no palácio no dia e hora marcados. Estava feliz com a perspetiva de passar mais alguns instantes na companhia do príncipe. Nada mais esperava. Chegou ao palácio com o vaso sem flor.

Todas as outras moças apareceram no palácio com flores lindíssimas, das mais variadas formas, cores e odores. O palácio transformou-se num imenso jardim. Chegou finalmente o momento esperado. O príncipe passou junto de todas as pretendentes, observando com muito cuidado todas as flores. Por fim, anunciou que a sua futura esposa seria a jovem que não trazia flor. Isto provocou as mais variadas reações de espanto. Por essa razão, o príncipe fez questão em explicar a sua escolha.

- Esta menina – disse o príncipe – foi a única que cultivou a flor que a torna digna de ser imperatriz: a flor da honestidade! Porque, todas as sementes que entreguei eram estéreis.

Esta história confirma que o emblema da honestidade é a sinceridade.


Extraído de:“Pensar Faz Bem” escrito por Ezequiel Quintino

quinta-feira, 15 de junho de 2017



Riscos

Existem histórias, problemas ou charadas com algum humor, que encerram lições úteis. Pense na solução do seguinte problema:

“Estão três sapos em cima de uma grande folha de nenúfar. Um deles decide pular da folha para a água. Quantos sapos restam sobre a folha?”

A resposta correta é: três sapos. É que o sapo apenas decidiu pular, mas não saltou.

Não acha que, por vezes, muitos de nós, nos parecemos com o sapo? Decidimos fazer isto ou aquilo, mas afinal, não fazemos nada.

Na vida que vamos vivendo, temos que tomar constantes decisões. Algumas fáceis, óbvias, naturais, e quase inconscientes, outras verdadeiramente complicadas.
Até mesmo nas situações mais banais do nosso quotidiano, teremos de fazer escolhas e tomar decisões. Todas têm consequências sobre nós e/ou os outros. A vida humana é uma adição de ponderações, avaliações, escolhas e decisões. Em todas essas operações correm-se riscos.

            Por exemplo: rir é correr o risco de parecer tolo. Chorar é correr o risco de parecer sentimental. Abrir-se para alguém é arriscar o envolvimento com essa pessoa. Expor as ideias e sonhos é arriscar-se a perdê-los. Tentar é correr o risco de falhar. Amar é correr o risco de não ser amado. Ter esperança é correr o risco de se dececionado. Dormir é correr o risco de não acordar. Viajar é correr o risco de ter um acidente. Ficar em casa é correr o risco de ficar soterrado devido a um terramoto. Ter um trabalho é correr o risco de ficar no desemprego. Enfim, poderíamos continuar a lista dos riscos… Mas já percebemos que viver é correr o risco de morrer.

            Os riscos precisam de ser enfrentados, porque o maior risco na vida é não arriscar nada. A pessoa que não arrisca nada, não faz nada, não tem nada, não é nada. Ao não arriscar, ela julga poder evitar o sofrimento e a dor. Porém, não aprende, não muda, não sente, não cresce, não se realiza, não vive. Quem não arrisca a passar à ação, depois da decisão, é como se fosse um escravo que teme a liberdade. E ninguém quer ser escravo. Já Salomão, o sábio, aconselhou: (Prov. 6:6-11): “Vai ver a formiga, ó preguiçosa! Vê como ela faz e aprende a lição. Ainda que não tenha nem o chefe, nem governador, nem superior, contudo, sabe que deve trabalhar bem no Verão, juntando alimento em vistas do Inverno. Mas tu, preguiçoso, tudo o que sabes fazer é dormir! Quando é que te levantas e despertas?”

Extraído do livro “Pensar faz bem"

Ezequiel Quintino

quinta-feira, 11 de maio de 2017


Dez Conselhos para se Manter Jovem

Hoje tenho conselhos para manter a juventude. “Receberam de graça, deem de graça,” aconselhou Jesus há dois mil anos. Como recebi gratuitamente este conteúdo, de autor desconhecido, tenho o prazer de o partilhar consigo, esperando que lhe seja útil. Então, aqui estão dez conselhos:
1.      Procura rodear-te de amigos alegres. É que os tristes deprimem. Tem isso em consideração e certifica-te que não és um desses deprimidos.
2.      Não deixes o cérebro desocupado. Continua a aprender sempre… Aprende mais sobre a vida, o mundo, o universo e Deus. Lembra-te de que uma mente vazia é o ambiente propício para a instalação do mal. Então, previne-te!
3.      Não deixes de apreciar as coisas belas e simples.
4.      Ri com frequência. Solta gargalhadas. Ri, por vezes, até perderes o fôlego. E se tiveres um amigo que te faça rir, procura passar tempo na companhia dessa pessoa.
Rir é saudável.
5.      Se nalgum momento surgirem as lágrimas, é natural. Resiste, recupera-te e segue em frente. A única pessoa que está contigo a vida inteira és tu mesmo. Por isso, vive, enquanto estiveres vivo!
6.      Rodeia-te do que amas. Pode ser: a família, os amigos, os animais de estimação, boa música, e bons livros, flores ou plantas, o que quer que seja. A tua casa é o teu refúgio! Escolhe bem.
7.      Cuida da tua saúde. Se ela está bem, preserva-a. Se está instável, melhora-a. Se está além das tuas possibilidades melhorá-la, procura ajuda.
8.      Não vás a lugares onde não te sintas bem. Sai para o campo, para a cidade, montanha ou praia, mas NÃO vás a lugares que te deprimam.
9.      Nunca esqueças de dizer às pessoas que amas, que as amas, sempre que tiveres oportunidade. Acima de tudo, não te esqueças que a juventude é um estado de espírito.
10.  Perdoa aqueles que te fizeram sofrer. Podes não ter uma segunda oportunidade para fazer isso. Perdoa-te a ti mesmo, no caso de teres esquecido o Autor da tua existência.
Há já três mil anos, aconselhou o sábio Salomão: “Lembra-te do teu Criador, enquanto fores jovem” Ecles. 12:1. Por isso, não desista de procurar Deus.


Ezequiel Quintino, “Pensar Faz Bem”

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017


Tosse
Tossir pode ser desgastante.
Aprenda a lidar com este sintoma.

A Tosse é algo que nos acontece por várias razões, que nos irrita e tira horas de sono. Vamos então tentar perceber o que é, porque aparece e o que podemos fazer para a aliviar; neste ponto é importante percebermos quando pedir ajuda.

O que é e porque aparece?

A tosse constitui uma resposta fisiológica do organismo, por isso mesmo necessária, e resulta da irritação das vias aéreas. É devida a uma contração espasmódica, repentina e normalmente repetitiva da cavidade torácica. A tosse provoca libertação violenta de ar dos pulmões e visa expelir elementos nocivos como poeiras, bactérias, vírus, fungos e secreções várias.

Os vários tipos

Segundo o tempo de duração pode ser aguda de aparecimento repentino associada a infeções respiratórias (ex: gripes ou constipações) e que passa em poucos dias ou semanas; ou crónica mais arrastada e relacionada com múltiplos fatores.
Pode ser seca – irritativa ou produtiva – que liberta secreções (expetoração).

O que causa a tosse?

Tendo causas várias, a tosse pode resultar de uma infeção respiratória como a gripe ou constipação, pode ser sintoma de alergia, de irritação provocada por fatores externos (poluição, fumo de tabaco), de doença pulmonar obstrutiva crónica ou de refluxo gastro-esofágico (quando o ácido gástrico sobe pelo esófago, podendo irritar o trato respiratório ou a garganta.

O que fazer para controlar a tosse?
. Dormir com almofada mais alta;
. Aumentar a ingestão de líquidos para ajudar a acalmar a irritação e a fluidificar as secreções;
. Aplicar soro nasal, com efeito semelhante ao anterior;
. Os xaropes caseiros, como o xarope de cenoura, de gengibre ou de mel e limão, podem aliviar a tosse;
. Os xaropes adquiridos em farmácias, devem ser utilizados de forma cuidadosa e adequada existindo dois tipos:
. Xaropes antitússicos, para a tosse seca e irritativa,
. Xaropes mucolíticos, que fluidificam as secreções.
O uso inadequado de um xarope pode acarretar consequências graves, ou mesmo prolongar a duração da tosse e aumentar as secreções. Os xaropes apenas devem ser administrados caso a tosse persista. É então altura para recorrer ao médico, principalmente se associado à tosse surgir febre ou falta de ar.

Extraído da revista “Sintra Saudável.”

Texto de: Délio Pacheco